DE GRÃO EM GRÃO …

Será que estamos assistindo ao início de uma mudança radical do eixo de influência política no nosso país? Tenho minhas dúvidas. No vácuo da histórica e milionária arrecadação de doações individuais para a sua campanha, conseguida pelo Presidente Obama através da Internet, começaram as doações individuais para as campanhas  de nossos candidatos a presidente, nos respectivos sites oficiais. Vamos analisar com um pouco mais detalhe o caso Obama. Contrariamente à nossa tradição, já existia o costume do engajamento e contribuições individuais dos americanos às campanhas políticas. Inclusive na eleição anterior pela internet. Havia uma mobilização nacional em torno de mudanças na condução da política americana em função da guerra no Iraque, da crise econômica e principalmente da questão da saúde. A auto estima americana estava em baixa, fato muito bem explorado com o slogan “Yes we can” ‘Sim nós podemos” pelo candidato vencedor.  Houve também uma exploração muito bem feita desse mote de participação de todos nas mudanças através de elementos virais na internet, onde se criava a visão compartilhada de um futuro diferente e das mudanças desejadas com a contribuição de todos. Além disso figuras importantes da TV, esporte, política e entretimento formadoras de opinião e alguns cidadãos comuns se engajaram nessa cruzada criando o pavio certo que incendiou o ambiente propício existente. E no nosso caso como estamos? Dos 4 principais candidatos apenas um, José Serra, não abriu seu site às contribuições individuais apesar de ser o candidato com mais assessores para as redes sociais, quarenta. Isso poderá ser interpretado como um erro estratégico. Será que o candidato tem tantas contribuições ou está tão distanciado da população em geral que não precisa desse apoio? A candidata Marina da Silva com 12 assessores para as redes sociais poderá ter nas mãos um motivo de mudanças, a defesa do meio ambiente e da sustentabilidade, mas ainda não vemos essa preocupação propagar como vírus nas redes sócias. O engajamento nas causa ecológicas ainda está longe do que deveria ser. Contudo, as doações estão em bom ritmo e a candidata pretende arrecadar 15 milhões de reais nestes próximos 40 dias. Quem tem mais motivos para uma maior arrecadação é a candidata  Dilma Roussef. O PT é o partido com mais tradição de engajamento de seus partidários, é a maior coligação em disputa, tem um forte apelo de participação e identificação popular e é o partido do presidente atual. Será que estes fatores podem provocar a mobilização de seus seguidores a contribuírem? Não vejo esses fatores ainda como elementos de motivação viral nas redes sociais. Como a campanha eleitoral no rádio e Tv está só começando este panorama ainda pode ser mudado bastante sob o ponto de vista do uso dos elementos essenciais das redes sociais, o que até agora ainda não vimos.  Vamos torcer para que isto aconteça e se mude o eixo da força de influência nas doações das campanhas, que saia das grandes empresas e passe para as mãos da população em geral, o que será uma solidificação da democracia e um fato sociológico e político revolucionário.

Anúncios
Esse post foi publicado em Redes sociais e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para DE GRÃO EM GRÃO …

  1. Jose Geraldo disse:

    No caso da Marina Silva, vejo sim um trabalho muito intenso de arrecadação.
    O que queria entender é como são formados ou como estão formados os partidos políticos atualmente no Brasil.
    O PT sim já deve um engajamento muito grande da população, além dos filiados.
    Mas hoje, eu vejo os partidos como currais fechados de gente confinada a espera de um espaço ou melhor um pedaço do estado para si.
    Sinto que o projeto ficha limpa foi um primeiro passo para uma reforma política feita pelos eleitores que agora deveria abrir os partidos e colocar neles, a democracia, algo que vejo sendo cobrado mundo afora, mas que os donos ou caciques comandam.
    O Serra não era o melhor candidato, ou melhor ele era o melhor candidato do seu meio, não o melhor candidato dos seus colegas de partido e isto é demonstrado agora.
    Espero que a Marina tenha saúde para disputar mais quatro eleições, pois ali vejo um caminho para o Brasil, no resto é somente pessoas do meio do poder.

  2. Ed Carlos disse:

    Acho que para saúde financeira do país e reduzção de custos com a operação do segundo turno, o povo deve se unir para eleger UM candidato em turno único, evitando o segundo e os investimentos latíssimos. Isso já daria mais tempo para o sucessor do atual presidente focar seus planejamentos para assumir em 02/01/2011.

  3. Mário Artur Garrett Maciel Pinto disse:

    Olá

    Sou afiliado em um partido, ja fui candidato e com a experiência que obtive, posso dizer
    sem sombra de duvidas, que a politica a nivel nacional precisa urgente de uma reforma!
    Tal reforma com o intuito de moralizar e dar transparencia desde aos atos destinados à campanha, até os atos dos politicos eleitos…
    Meu caro amigo António, vc está de parabéns por suas palavras!!!!
    Grande e fraterno abraço.

  4. Mário Artur Garrett Maciel Pinto disse:

    Sou afiliado em um partido, ja fui candidato e com a experiência que obtive, posso dizer
    sem sombra de duvidas, que a politica a nivel nacional precisa urgente de uma reforma!
    Tal reforma com o intuito de moralizar e dar transparencia desde aos atos destinados à campanha, até os atos dos politicos eleitos…
    Meu caro amigo António, vc está de parabéns por suas palavras!!!!
    Grande e fraterno abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s