QUEM É SEU MODELO?

IMG_2016-01-14_22_14_53Uns tempos atrás, numa ação do Rotary, fui fazer umas palestras sobre Empreendedorismo para a Escola Municipal Omar Sabbag, na Vila Oficinas aqui em Curitiba. Essa Escola fica perto de uma região de alta violência. Uma coisa que logo me chamou a atenção foi a falta de vidros nas portas das salas, os banheiros limpos mas sem acessórios e a presença da Guarda Municipal dentro da Escola. Foi uma realidade nova e chocante para mim. Em conversa com as professoras e professores foi-me dito do alto índice de violência da região. Bom, lá fui eu com os casos de agressões entre alunos e também a professores na cabeça para as palestras sobre a importância do empreendedorismo na obtenção de renda e melhoria das condições de vida para os pais dos alunos. Tentei dar o recado mais adaptado à realidade presente.

Durante o almoço as professoras que me acompanharam me disseram que eu precisava conhecer o Lucas. O Lucas era um menino de 10 anos que segundo elas era o mais inteligente e observador da escola e que elas consideravam o que tinha o maior potencial empreendedor. Fiquei muito mais curioso em conhecer o menino, pois tinha mais alguma coisa sobre ele que não iram me contar, eu teria de ver diretamente.

Logo de cara percebi que o Lucas demonstrava ter muita energia e ser um pouco irrequieto, o que pode ser uma vantagem sob o ponto de vista empreendedor. Logo de cara fiz a pergunta padrão que sempre faço nestas situações. Lucas, qual é o teu sonho? Assim me dirigi a ele. Ele me olhou por instantes de baixo para cima e depois de um pequeno silêncio me disse. Nenhum, não tenho sonhos! Mais um choque, pensei hoje é o dia. As professoras me olharam e disseram viu? Eu olhei para ele e firme disse-lhe, não pode, todo mundo tem um sonho. Ele de cara me replicou, no lugar onde moro não podemos sonhar! Agora a conversa ficou muito interessante. E o que tem o lugar onde moras? Ele calmamente e muito firme me explicou que o irmão tinha morrido por violência com 18 anos, um vizinho com 19 e um primo também com 19. E arrematou, como vou poder sonhar se todo mundo onde moro não passa dos 20 anos? Fiquei calado um tempo pensando o que dizer. Então concordei, nestas condições tens toda a razão. Ele aproveitou e completou, ninguém que eu conheço conseguiu ser alguém ou viver muito tempo. Já recuperado e perante a expectativa das 3 professoras, joguei para ele. Vamos imaginar que você tivesse condições de conseguir qual seria teu sonho? Como assim, questionou ele pegando a isca. Bom, caso você não morasse aqui, o que você gostaria de ser? Eu gostaria de ser jornalista ele me disse. Para quê? Para mostrar para todo mundo como se vive aqui, o que acontece aqui para tentar mudar. Depois ficámos conversando mais tempo sobre a possibilidade dele fazer isso desde já e cursar um curso técnico no ensino médio e expliquei como ele poderia estudar numa faculdade usando o PROUNI e FIES ou conseguir uma bolsa particular.

Este episódio me sensibilizou sobre a importância dos modelos que escolhemos. Dentro do processo de empreendedorismo é fundamental a escolha do modelo e do mentor do teu projeto. E da parte dos empreendedores de sucesso a responsabilidade da sua conduta como exemplo a ser seguido.

Os modelos que o ambicioso menino Lucas tinha, eram modelos de violência tráfego de drogas, morte precoce e sem acesso ao ensino superior e a uma profissão definida. Hoje pensando sobre a satisfação em receber felicitações pelo meu aniversário dos mitos e ídolos da minha juventude, que agora são meus amigos no facebook, me veio à mente este fato.

O papel do ídolo num primeiro momento é o de mito, depois deve ser de modelo a seguir e num outro momento o de fazer saber ao seu fã que todos podem ser mitos e ídolos também. Um processo de duplicação, sem duplicação teremos só seguidores e imitadores sem novos ídolos. Só quem chegou onde você quer chegar pode te ensinar a chegar lá. A responsabilidade é mútua, a do modelo, quando se propuser a ser um mentor, líder ou exemplo a seguir, de divulgar sua trajetória, do seu aprendizado, da sua experiência. A responsabilidade do seguidor é a de escolher bem seu modelo, de estudar como o modelo atingiu o que você quer atingir, de entender a cabeça e a forma de decidir do seu modelo e de como ele atingiu o que se pretende atingir. Simples assim, é apenas um processo de imitação quanto mais você imitar mais próximo estará do objetivo a atingir. É um processo de duplicação das ações. No fundo é fácil, somos seres replicantes de modelos e padrões internos e externos por natureza.

Seja um bom imitador! SUCE$$:)!

 

Anúncios
Esse post foi publicado em carreira, Empreendedorismo e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s