AMIGOS, AMIGOS, NEGÓCIOS À PARTE

amigosO Djalma marcou a sua presença logo no começo do curso, não só pela simpatia e a comunicabilidade mas também pelo porte físico. Ele é uma cara grande, alto e forte mas muito bonachão. Me chamou a atenção logo que entrei no primeiro dia do treinamento, falando com todo mundo e muito à vontade. Logo de cara já veio dizendo que estava ali acompanhado da nutricionista que dava assistência para ele na pequena lanchonete que ele tinha, porque precisava urgente descobrir o motivo do negócio dele estar ruim, dando prejuízo atrás de prejuízo mesmo ele fazendo tudo certo.

Bom disse eu, vamos ver se achamos o teu problema durante o treinamento. Pode ser que não dentro do escopo deste curso básico, se for este caso podemos conversar depois e tentar te ajudar.

Apesar de ter nascido numa família simples e sem muito recursos, o Djalma, tinha trabalhado muitos anos num Grupo grande aqui da cidade, onde foi crescendo na escala hierárquica conseguindo chegar ao cargo de coordenador de setor. Com isto ele também foi crescendo na formação acadêmica se formando em Administração e tendo feito uma especialização em marketing. O conhecimento de gestão dele, era portanto bom e ele tinha a consciência de que teria que aplicar os conceitos de gestão para poder permanecer e crescer como empresário. E ele vinha fazendo isso com a lanchonete que montou quando recebeu uma boa indenização e um fundo de garantia alto quando saiu da empresa onde trabalhava quando esta foi vendida para um grupo estrangeiro.

A questão de o negócio do Djalma estar indo à falência era muito intrigante já que ele usava planejamento, os custos variáveis eram bem calculados, a nutricionista tinha montado as folhas de cálculo para cada produto que ele vendia, inclusive ele trouxe ela para fazer o treinamento para ver se havia algum problema nessa área. Ele aparentemente fazia tudo certo, mas algo estava errado porque a cada mês ele precisava injetar mais dinheiro na empresa o que o tinha feito trocar duas vezes de carro, para valores mais baixos e estar já praticamente sem opções de recursos próprios a serem usados no negócio. Em função do tipo de caso e mais pela forte presença do Djalma e sua simpatia, a questão de descobrir qual o erro da gestão da lanchonete do Djalma tomou a mente e os assuntos de todos os participantes. As exposições e discussões eram praticamente todas direcionadas para esse problema e se eu deixasse ele polarizava todas as discussões.

Bom, o curso foi decorrendo dentro do programa, com exposições teóricas e exercícios práticos em grupo até que no meio de um desses exercícios práticos um dos alunos do grupo do Djalma falou alto, António eu acho que descobri qual o problema do Djalma! Pronto, todo mundo parou e as atenções se voltaram para ele. Fiquei curioso, o que será que é, pensei.

Apesar do nosso simpático Djalma ter montado seu negócio muito bem, porções padronizadas, cálculo de custos bem feito, manter um controle financeiro, separar a sua conta pessoal da conta de empresa, compras feitas com qualidade, preço baixo e prazo de pagamento bom, ele ao tentar primar por agradar os clientes cometia um grande erro. E qual o erro? Oferecia muitos lanches como cortesia. Eram os dois irmãos que todo o dia iam jantar lá, mais os amigos e vizinhos, e como ele era bem simpático e antigo no bairro, o número de amigos era grande. Mas professor, são meus amigos, preciso cativar os clientes fazer cortesia, fazer marketing de relacionamento, foi a justificativa que ele me deu para tantos lanches oferecidos diariamente.

Em tese ele estava certo, precisamos ter bom relacionamento com os clientes, encantá-los, criar experiências de consumo e surpreendê-los, mas sempre dentro da margem de contribuição para não comprometer o resultado. Toda a ação de marketing deve ter como objetivo o retorno do valor gasto no mínimo, ou manter o nível de receita.

Uma das 10 características empreendedoras é o comprometimento com o negócio, demonstrado pelo comportamento de primar sempre em manter os clientes satisfeitos e colocar em primeiro lugar a boa vontade a longo prazo, em vez do lucro a curto prazo. Isso sem comprometer o resultado.

Infelizmente nosso querido Djalma, não conseguiu reverter a tempo suas cortesias e teve que fechar seu negócio antes que perdesse todas suas economias, voltou a ser funcionário.

E você, está demais comprometido a ponto de acabar com seu negócio?

Anúncios
Esse post foi publicado em Empreendedorismo, Gestão e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s